O bichinho da corrida

Há pouco mais de um ano atrás, meu eu do passado reclamava que nunca conseguiria correr na vida. Olhava as pessoas correndo na rua e admirava, pensava “Puxa, essas pessoas são demais. Eu nunca vou conseguir fazer o que elas fazem”. Não foram poucas as tentativas em que eu tentei ultrapassar a barreira dos 5K. E todas terminaram sem sucesso.

Em algum dia frio de novembro de 2012, eu subi na esteira, determinada a conseguir passar dessa barreira. Pensei: “Vamos fazer isso com calma. Vai que eu consigo!” E não foi por menos. Eu consegui passar a barreira dos 5K. Lembro que levei algo em torno de 40 minutos para terminar, mas eu consegui terminar. Voltei pra casa eufórica, abracei meu namorado e comemorei naquele dia meus primeiro 5K corridos. Mal sabia eu que o bichinho da corrida começava a me morder.

Em fevereiro de 2013, corri minha primeira corrida oficial. Foi durante minhas férias no Brasil, com minha melhor amiga e meu namorado. Nunca vou me esquecer a vibe daquela corrida. Pessoas felizes, dançando, contentes. E o bichinho da corrida começou a morder mais forte. Comecei então a aumentar distâncias, chegando aos 10K. Foram mais duas corridas, agora na Alemanha. A confiança aumentava com cada treino, e eu me inscrevi numa meia-maratona.

Neste domingo, dia 13 de outubro, irei correr minha primeira meia-maratona. Estou muito ansiosa, com bastante medo de não conseguir terminar a prova, dado o resultado da última corrida no domingo passado. Minha canela esquerda dói muito ainda, inflamada, resultado de muita forçação de barra nos treinos e tênis inapropriados. Por causa dessa canela, pensei que esta seria minha última prova do ano, me colocando “de molho” pelos próximos 3 meses. Neste tempo, eu investiria na academia, trabalhando a musculatura e reforçando a musculatura das pernas.

Ingenuidade a minha.

O bichinho da corrida já está me mordendo de novo, cogitando correr uma prova de 10 milhas (16K) em Porto Alegre. Seriam 3 semanas depois da meia-maratona. E na semana seguinte a essa, tem outra corrida que parece ser legal, de revezamento. Seriam novamente algo em torno de 10K na minha conta. Fico em dúvida. Minha perna precisa desse descanso, do jeito que está, ela não pode continuar. Mas ao mesmo tempo, o bichinho só me induz a ir além. Já tinha ouvido falar que corredores são pessoas estranhas, com seus hábitos não-convencionais e por não respeitarem muito seus limites físicos.

Agora eu consigo entender porquê.

Em Defesa dos Usuários de Crocs

A versão "Ipanema" dos Crocs

A versão “Ipanema” dos Crocs

Postei há alguns dias essa foto no meu perfil do Cara-livro. Óbviamente que começaram a chover comentários “Ai, que horror!”, “Nossa amizade acabou de acabar.”, bla bla bla.

E daí que comecei a me dar conta que virou moda falar mal do tal do chinelo. Eu também não acho eles a coisa mais linda do mundo, mas também não são feios a ponto de sentir vergonha de usá-los. Bem ao contrário. Acho eles simpáticos (eles são como pugs, são tão feios e estranhos que transmitem simpatia!) e coloridos. Para mim, que sofro constantemente de pés gelados, a versão de inverno é quentinha e, ao contrário da maioria das pantufas e chinelos de inverno, facílima de limpar! Basta tirar a parte de feltro do chinelo, botar na máquina, e passar um pano úmido na parte de plástico. Tá, isso na minha versão de 8,99 Euros que comprei num supermercado perto de casa. Mas mesmo assim, ainda vale mais do que as pantufas que você vai botar na máquina de lavar, lavar e esperar uma semana nesse inverno sem sol europeu pra secar. Isso se não encolherem! Sem contar que como o plástico é duro e envolve bem o pé, é a prova de estabanadas que derrubam facas no pé, como eu.

Sinto que esse preconceito com os Crocs é o mesmo que as pessoas têm com Havaiana de sola branca. Há um bom tempo atrás só tinha esse tipo de Havaiana. E o pessoal achava bem feinho e reclamava. Um tempo até era melhor usar chinelão tipo Raider a usar Havaiana de sola branca (seria isso influência do Robocop?).  Até que a marca resolveu se “reinventar” e começaram a surgir os modelos coloridos, com tiras mais finas, e mais caros. Aí todo mundo começou a achar lindo. Mas a Havaiana de sola branca, coitada, continua sendo discriminada e sendo carinhosamente chamada de “Havaiana de Pedreiro”. É só um calçado, gente! Tudo bem que no caso do Crocs, ele começou caro e continua caro.

Enfim… Brigo, sim, pelo meu direito de usar sapatos confortáveis, seguros e quentinhos. Exceto Birkenstock. Esse não dá.

birkenstocks Suede-birkenstocks

O bom filho à casa torna

Fênix renascendo das cinzas! O blog começou com uma idéia tão boa, mas eu, preguiçosa e desorganizada, para variar, não consegui continuar postando aqui.

Como dá pra ver, minha descrição mudou. Estou caminhando lentamente para a casa dos 30, ACHO QUE mais madura e um pouquinho mais sábia. Alguns hábitos e manias e mudaram desde o último post, que foi sobre o Glossybox. Depois de um tempo, os produtos começaram a se acumular em casa (eu já não tinha mais lugar para colocar tanta caixinha rosa) e eu acabei parando a assinatura. Para quem gosta realmente de cosméticos, acho interessante. Mas para mim, que mal e mal me animo de passar hidratante no corpo depois do banho (eu sei que é importante, mas tem dias que dá uma preguiça, né!), não estava rendendo. Resolvi poupar os 10 Euros (na verdade eram 20, se eu contar com o Douglas Box of Beauty que eu também assinava)  por mês.

2012-10-15 22.51.42

Sir Han Solo Maurício Francisco Chimbinha & Lady Chewie Maria Joelma Hepburn

Estou morando com o namorido há um ano, e isso mudou também alguns hábitos, tanto os meus quanto os deles. Adotamos também dois coelhos lindinhos que são nossos xodós. Como criaturas lindinhas que ganham a gente só no olhar, são mimadinhos e só ganham do bom e do melhor!

Em breve, a família Ninchen (uma piada que fazemos por causa de Kaninchen – coelho em alemão) vai se mudar para Nersingen, em um apartamento maior e mais quentinho. Lá os coelhos vão ter mais espaço e, quem sabe mais pro futuro, um irmão canino. Vou aproveitar esse gancho para começar a postar mais coisas sobre casa e talvez decoração.

Outra coisa que mudou bastante de uns tempos para cá é que desde novembro de 2012 comecei uma dieta para ficar saudável de vez. Chega de ser gordinha e se sentir mal por causa disso. Tomei um choque quando comecei a vestir tamanho XL aqui na Alemanha. Era hora de mudar. Já perdi mais de 10 kg e quero perder mais uns 5 kg. Tenho um tumblr de fitness & dieta (The Eternal Fight – confere aqui!), mas estou postando em inglês. Pretendo usar o espaço desse blog para postar umas receitinhas saudáveis que vou testar com o tempo.

Tomara que vocês curtam! Vocês? Alguém lê isso? Alguém na linha?